João Gomes de Almeida @ 01:27

Qua, 14/12/11

Sair na Bica é igual a sair em qualquer sítio de Lisboa. Essencialmente, existem pessoas bonitas e gente feia, que se desdobra em tipos simpáticos e coisas tímidas com pernas. Sair na Bica é ir para bares, o que a faz um sítio igual aos outros sítios de Lisboa onde também existem bares.

 

No entanto, existem diferenças. Na Bica essencialmente descemos, no Bairro basicamente subimos e no Cais do Sodré actualmente flutuamos entre uma multidão eufórica com a existência de um sítio onde há pessoas com carta de condução.

 

Mas as diferenças não se ficam por aqui. Todos os outros sítios são noite, a Bica é o anoitecer. Uma ida à Bica não pressupõe noitada, mas apenas um adormecer mais entorpecido. Não é um local para enfrascarmos dez cervejas, mas apenas para saborearmos um mojito depois de jantar. No entanto, as 22h30 da Bica são as 02h30 do Bairro - trata-se de um fuso horário de quatro horas, separado apenas por uma rua.

 

Ao descermos a Bica, criamos uma barreira mental que nos separa de Lisboa, qui ça do mundo. Em todos os outros sítios queremos voltar para a casa por ser tarde, na Bica voltamos para casa para aproveitarmos o facto de ser cedo e de na Bica, devido ao fuso horário, já ser tarde.

 

Se pensarmos bem, a Bica é a terra do nunca do Peter Pan. Onde os amigos se unem em torno de uma bebida, falando das coisas inúteis que nos permitem estar vivos. É o sítio da diversão que não é divertida, onde os grupos se juntam na cumplicidade de estarem distantes do resto do mundo, unidos em torno de uma causa maior que é amanhã estarem todos vivos.

 

Na Bica, os meus beijos são iguais e têm paixão, as amizades são as mesmas e remetem para o amor - mas todos somos seres pardos e indistintos na beleza de nos sentirmos alegremente sós. Os conhecidos fazem-se no Bairro, os contactos no Cais do Sodré, as amizades e o amor na Bica.

 

Mas vocês partiram, foram para longe e eu fiquei com o amor. Mas sabemos que a Bica continua a existir e que nós provavelmente também. É aí que nasce a saudade de nos termos próximos, isolados e felizes dentro do possível.

 

Sentir algo é superior ao sítio onde o fazemos. Mas conta muito, por isso gosto da Bica.



Obrigadinho!

 

O Polaroid podia ter ganho o prémio de Blog Revelação do ano 2011 da TVI24, mas infelizmente vocês são uns leitores do caraças e não votaram em nós! Mesmo assim, vamos continuar a escrever, sendo que quem levou a taça foi o @ChicodeOeiras e a sua malta esquerdista! Já percebemos que vocês preferem o Mao ao amor e o Enver Hoxha aos nossos textos bonitos! . Agradecemos a vossa ajuda! Obrigadinho malta!


PS - O Zé Maria obrigou-nos a colocar no final disto: "mas continuamos a gostar de vocês".
Pub.
Segue no Twitter
Arquivos
Pesquisar
 
RSS