José Maria Barcia @ 14:59

Ter, 20/09/11

 

 

Diz o cliché que não há bem sem mal. Que sem escuridão não existe luz.

 

É-me, portanto, natural um agradecimento aos negativos. Como numa polaroid. Do nada, do escuro vem a imagem.

 

Ora, voltemos então aos maus da fita. Porque os há. Porque ou nasceram assim ou porque ficaram assim. São más, essas pessoas, independentemente da origem da maldade. Mas diferem entre si.

 

O meu tipo favorito de pessoas más são aquelas cujo simples presença torna-as intragáveis. Cujo convívio é insuportável. Essas pessoas nunca souberam ser boas e, como tal, têm a consciência disso. Não escondem que são más nem fingem que são boas. São más e pronto.

 

Com esses ainda consigo ir jantar.

 

Do outro lado da coisa, estão os falsos. Os que escondem a falta de carácter, os que disfarçam a mesquinhez, os que parecem bons. Estes prendem-se na ilusão de amizade que passam aos outros. E esperam. Esperam pela melhor oportunidade para mostrar toda a sua podridão. Mas quando mostram - oh, se mostram - é de forma espantosa. É o equivalente a uma barragem cheia a desmoronar-se, engolindo vales e aldeias. 

 

Enquanto o primeiro tipo de pessoas más ainda consegue ter perdão, às segundas é-me impossível tal acto de caridade. 

 

Contudo, ainda bem que existem pessoas más. Proponho até um dia reservado a elogiar e festejar estas pessoas: dia nacional da escumalha, dia internacional dos mesquinhos. Melhor ainda, logo a seguir ao feriado de de Todos os Santos, ter o feriado de Todos os Merdas.

 

E porquê elogiar toda este podridão humana (ou animal, depende da liberdade poética)?

 

Simples, porque sem maus, não há bons. Apesar da constante bosta que se vê no dia-a-dia, há sempre casos que por mais pequenos, chegam para restaurar a sanidade despendida no dia-a-dia. Num quarto escuro a mínima luz é visível.

 

Recordo-me de quando estava num autocarro apinhado a caminho de casa. Estava em pé e reparei numa senhora mais idosa, daquelas com cara de avó muito protectora. Quando o autocarro parou na estação seguinte reparei que essa senhora estava sentada à espera do próximo. Não porque se irritou com as pessoas mas porque quis dar o lugar a outras pessoas. Olhei para ela e pela  cara que fiz ela percebeu a minha dúvida, ''porque estava ela ali, à espera?''. Limitou-se a encolher os ombros e com um sorriso despediu-se. Isto passou-se em 2003. Ainda hoje me lembro. Basta ver uma coisa destas de vez em quando.

 

Portanto, obrigado. Obrigado aos merdas, aos mentirosos, aos traidores, aos que praticam a filha-da-putice todo o santo dia. A todos vós, o meu sincero agradecimento. Fazem-me saber o que não quero ser. 



Anónimo @ 20:36

Ter, 20/09/11

 

Fdx ao menos aqui pode-se mandar pró caralho tudo e todos. Vão-se foder filhos da puta, a todos os albertos joãos, a todos os Loureiros, Vassoureiros, a todos os Josés, a todos os Sócrates, a todos mesmo todos, a todos os que dizem que não sabiam da situação da madeira, a todos mesmo todos. Tou farto de vós fdx. a todos os que perdoam mas que não se esquecem, a todos os que têm uma certa esperança de provar melão ou meloa. A todos os que medem muito bem as palavras.
Puta que vos pariu


Nuno Oliveira @ 23:02

Ter, 20/09/11

 

Este blogue sem dúvida que promete.
Desejo-lhes êxitos e felicidades.
Que consigam manter o espaço vivo e não apenas dormente.
Voltarei, "com certeza".

Bem haja, então aos que praticam a filha-da-putice.
Especialmente aos que trabalham comigo.

Cumprimentos.

João Nery @ 01:35

Qua, 21/09/11

 

Olha, olha, olha! Meia dúzia de bacanos entre o larilas e o panasca a dizer adeus na blogosfera. Tarde piaste! O espaço está cheio e a tugalhada mal cheirosa está farta de política pá! ...só porque sabem alinhar umas orações e uns ponos finais.."olha mãe! Já sei escrever! Vocês estão a precisar de levar com a polaroid da palavra do senhor. Ide orar a Deus, servir-Lhe e aguardar uma palavra de salvação...

Isabel Metello @ 01:58

Qua, 21/09/11

 

João, mesmo o post que estava a precisar de ler hoje- este mundo é mesmo um mundo imundo...mas a maldade, na sua vulgaridade acérrima, nem percebe que a maior vítima é ela própria, pois, neste campo, os polos iguais atraem-se e a maldade retorna à fonte- pode demorar 20 anos, mas retorna e, por vezes, com juros muito altos...mas, para preservarmos a sanidade espiritual, já para não falar da mental, creio que é termos consciência de que esses seres negros que, ilusoriamente, pensam que a sua felicidade passa pela anulação alheia, são somente instrumentos da aprimoração dos seus alvos...patéticos...


Rigoletto @ 17:50

Qua, 21/09/11

 

Eh pá vim aqui ao engano. Eu a pensar que vinha aqui ver umas polaroids , ou boas ou más, já agora e népias.
Também sou um tipo que prefere filhos da puta declarados aos encapotados. Mas e as polaroids ?

almorranas @ 16:22

Qui, 22/09/11

 

Vassoureiros, a todos os Josés, a todos os Sócrates, a todos mesmo todos, a todos os que dizem que não sabiam da situação da madeira, a todos mesmo todos. Tou farto de vós fdx.


geriatriaaminhavida @ 09:21

Sex, 23/09/11

 

Infelizmente(ou não) deparamo-nos diariamente com pessoas falsas. Tem razão, essas são realmente muito piores do que as que são más à descarada.
Posso estar errada, mas tenho ideia que esses problemas de falsidade se vive maioritariamante com as mulheres.
Tenho pena de ter de pensar assim, pois é com o que me deparo no meu local de trabalho.
Boa semana

Obrigadinho!

 

O Polaroid podia ter ganho o prémio de Blog Revelação do ano 2011 da TVI24, mas infelizmente vocês são uns leitores do caraças e não votaram em nós! Mesmo assim, vamos continuar a escrever, sendo que quem levou a taça foi o @ChicodeOeiras e a sua malta esquerdista! Já percebemos que vocês preferem o Mao ao amor e o Enver Hoxha aos nossos textos bonitos! . Agradecemos a vossa ajuda! Obrigadinho malta!


PS - O Zé Maria obrigou-nos a colocar no final disto: "mas continuamos a gostar de vocês".
Pub.
Segue no Twitter
Arquivos
Pesquisar
 
RSS