João Gomes de Almeida @ 15:21

Qua, 31/08/11

 

 

Advogado de profissão, não se deixou enclausurar em códigos e barras. Arrumado na prateleira da esquerda pela natureza das coisas, desenvolveu na juventude – ainda as mil águas de Abril não tinham chegado – gostos exóticos, onde se incluíam chineses, albaneses e charros alimados. Navegou por vários territórios: da pintura à América Latina, da escrita à actividade política. Gosta de rir, de cozinhar, de Roberto Bolaño, de amigos, cerveja e peixe fresco. Irrita-se com a intolerância e o autoritarismo. É agnóstico. Apesar da idade, ainda não perdeu o medo do escuro, do sobrenatural e das ditaduras. 




João Gomes de Almeida @ 15:19

Qua, 31/08/11


 

Quer ser realizadora de cinema, mas o que gosta mesmo é de cozinhar. Como já tem aquela idade em que os sonhos não pagam facturas de supermercado, anda por aí a fazer jornalismo televisivo e crónicas de rádio: tudo pelo serviço público. Viveu em Nova Iorque e passou a amar a América. Já foi a África, onde organizou ciclos e festivais de cinema lusófono e passou a ter frio na Europa. Gostava de ser Ministra da Cultura, mas sabe que ninguém liga aos jornalistas que gostam deste país. Ainda anda a estudar, pela 12ª vez, porque não desiste de querer provar que o mundo está cheio de génios. Acredita sempre na Liberdade. E na sua filha.




João Gomes de Almeida @ 15:12

Qua, 31/08/11


 

Nuno Miguel Guedes nasceu em Lisboa em 1964. Jornalista, esteve no inicio de O Independente, de onde saiu em 1990 para a revista Kapa, de que foi co-fundador e co-afundador. Escreve para várias publicações e é colaborador pemanente da revista Visão (cultura), Letrista sempre que o deixam, guionista de televisão, bloguista, DJ ocasional, anglófilo, fanático da Académica e de livros. Nos tempos livres pratica o dry martini. 




João Gomes de Almeida @ 15:09

Qua, 31/08/11

 

 

 

Jurista de formação, professora por dedicação, política de actividade e escritora por amantíssimo gosto.

 





João Gomes de Almeida @ 15:06

Qua, 31/08/11

 

 

De Lisboa, born and raised, nasceu na véspera do dia do trabalhador, garantindo assim um merecido feriado a seguir ao aniversário. De 1990, é o membro mais novo do blog, o que lhe permite ainda achar que o mundo pode ser salvo. Gosta de letras e odeia números. Considera-se liberal de direita mas concorda com o liberalismo social de esquerda. Acha que a esquerda portuguesa está muito mal feita e só vota em partidos de direita, ou nele próprio. Tem um contencioso com a estupidez embora goste de disparates e os encare de forma séria, tendo recentemente descoberto um fetiche por máscaras. Sobre deuses e assim e religiões em geral, tem grandes reticências. Começou em Direito mas teve o bom senso de sair. Estuda Ciência Política na Universidade Católica. Viaja e adora viajar. Já esteve em todos os continentes mas prefere o lado direito do globo. Tem uma relação afectuosa com Timor-Leste e vai lá voltar. Teimoso, egocêntrico, parvo, tem um fraco pela lisonja, gin tónico, noites longas e meter-se em sarilhos. Suspeita, no entanto, ter bom fundo.




João Gomes de Almeida @ 15:00

Qua, 31/08/11


 

Tem idade para ter juízo, mas só há pouco tempo – pelo que se lhe dá um desconto. Já foi jornalista, já fez experiências na rádio, já teve um bar, já foi editor livreiro, trabalhou em agências de comunicação, já escreveu crónicas e já publicou um ensaio, poemas e um livro de contos, tudo sobre mulheres. Pensava que ia ser jurista, mas cedo descobriu que não era essa a sua vocação. Define-se como católico, monárquico inspirado em Barrilaro Ruas e no MEC, sportinguista de coração e nortenho adoptado e muito bem adaptado a Lisboa. Gostava de já ter filhos, um Breitling, um Land Rover verde inglês e uma tabacaria perto de casa que vendesse Rothmans. Trabalha numa conhecida agência de publicidade e bebe Bushmills, sempre por esta ordem, visto ser criativo mas muito profissional.


Tem Twitter (@joaogomes), Facebook, LinkedIn e Google +.

 

Escreve também no blog Forte Apache.



Obrigadinho!

 

O Polaroid podia ter ganho o prémio de Blog Revelação do ano 2011 da TVI24, mas infelizmente vocês são uns leitores do caraças e não votaram em nós! Mesmo assim, vamos continuar a escrever, sendo que quem levou a taça foi o @ChicodeOeiras e a sua malta esquerdista! Já percebemos que vocês preferem o Mao ao amor e o Enver Hoxha aos nossos textos bonitos! . Agradecemos a vossa ajuda! Obrigadinho malta!


PS - O Zé Maria obrigou-nos a colocar no final disto: "mas continuamos a gostar de vocês".
Pub.
Segue no Twitter
Arquivos
Pesquisar
 
RSS