Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Polaroid

Polaroid

18
Jan12

Andamos a criar monstros

Nuno Miguel Guedes

Até podia ficar por aqui para provar as prioridades deste país que eu amo: «A petição que "pretende que as embalagens individuais de açúcar passem a conter um máximo de seis gramas" inaugura hoje a ordem de trabalhos da Comissão Parlamentar de Saúde.Ceeeerto. Comissão Parlamentar, coisa séria, é preciso debater o quanto antes o ataque desmedido dos pacotes de açúcar com mais de seis gramas. O resto tem tempo.

 

Mas nem é esta imbecilidade que me perturba mais – são os responsáveis por isto acontecer. Ao que parece,  «um grupo de quatro alunos da licenciatura em Gestão e Concepção de Políticas Hospitalares do Instituto Politécnico de Tomar» conseguiram convencer 145 mentecaptos fundamentalistas (passe a redundância) a assinar uma petição que pretende provar que se o pacote tiver cinco gramas de açúcar faz menos mal à saúde. Mesmo que o cidadão possa colocar no seu galão o conteúdo de dez pacotinhos. Nesta ordem de ideias, seria mais seguro oferecer com a bica um trambolho de quilo e meio de açúcar, decorado com os aforismos de pacote agora tão populares:«Nunca me lambuzei com um quilo de açucar na vida. Hoje é o dia». Era menos portátil e portanto menos «perigoso».

 

É evidente que, apesar de doutos pareceres de entidades clínicas, a coisa não passa pela redução dos pacotes. Porque podemos escolher. E não será um pacote de seis gramas que irá despertar o diabético que há em mim simplesmente porque eu não quero.

 

Andamos a criar monstros como estas criaturas em tempos de radicalismos de pacotilha. A inenarrável proposta de lei do tabaco, que, entre outras coisas, proíbe os cidadãos de fumarem na via publica (pausa para conter o riso) é outro exemplo descabelado.

Vamos deixar-nos de tretas, sim? Ainda ontem um amigo contava-me, a propósito desta última lei, o que viu numa parede de uma tasquinha numa terriola perdida perto de Salamanca: junto de uma bandeira de Espanha estavam as fotografias de Hitler, Mussolini e Franco. Ao lado os dizeres:«Nem estes tiveram os cojones de nos proibir de fumar». Como é evidente, ali fumava-se.

Podemos escolher sem decreto, e isto é aplicável à vida. Assim tenhamos os cojones para isso.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Obrigadinho!

 

O Polaroid podia ter ganho o prémio de Blog Revelação do ano 2011 da TVI24, mas infelizmente vocês são uns leitores do caraças e não votaram em nós! Mesmo assim, vamos continuar a escrever, sendo que quem levou a taça foi o @ChicodeOeiras e a sua malta esquerdista! Já percebemos que vocês preferem o Mao ao amor e o Enver Hoxha aos nossos textos bonitos! . Agradecemos a vossa ajuda! Obrigadinho malta!


PS - O Zé Maria obrigou-nos a colocar no final disto: "mas continuamos a gostar de vocês".

Arquivo

  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2011
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D